Você sabia que o e-mail marketing ainda é um dos principais canais de venda na internet? Uma pesquisa apontou que a prática mostrou 40 vezes mais eficácia do que redes sociais como Facebook ou LinkedIn utilizadas juntas! 

Por meio da construção de uma estratégia de e-mail marketing bem definida é possível estabelecer um relacionamento, aumentar a visibilidade, reposicionar uma empresa no mercado e utilizar as métricas para entender melhor as necessidades e desejos do seu público-alvo.

Aprenda com algumas dicas como construir, se relacionar, vender e encantar pessoas com o e-mail marketing.

Veja dicas para aperfeiçoar a sua estratégia de e-mail marketing

Da prospecção à mensuração de resultados, todos os passos devem ser analisados e seguir boas práticas, que não só inspiram mais confiança na sua marca, como evitam que seus endereços sejam marcados como spam. Vamos começar do início.

Atraia o público

Nunca compre listas de e-mails! O primeiro motivo para evitar essa prática é a possibilidade (e probabilidade) de o receptor do e-mail marcar a sua mensagem como spam. Você sabe o que isso significa? Que aquele provedor vai desconfiar dos seus futuros e-mails e isso prejudicará a entrega.

Além disso, isso suja a reputação da empresa no mercado, já que ela está sendo intrusiva e enviando e-mails sem autorização prévia.

É importante repensar as formas como você adquire e-mails. Uma opção muito utilizada para isso é utilizar landing pages. São páginas únicas, sem distrações, com o objetivo de capturar contatos. Mas, para isso, você precisa oferecer algo de valor, como um brinde ou e-book, por exemplo. Não é o único caminho, mas é uma alternativa saudável e legítima. Após começar as suas listas de maneira correta, é hora de traçar onde você quer chegar.

Estabeleça objetivos

Antes de tudo, defina quais são seus objetivos. Eles podem ser vários e devem estar de acordo com a jornada do cliente no funil de vendas.

São exemplos: redesenhar a posição da marca no mercado, engajar antigos contatos, fazer limpeza de e-mails inativos, educar o seu cliente sobre determinado produto ou serviço, conduzi-lo para o próximo nível do funil, fazer uma venda, fidelizar clientes ou mesmo ganhar indicações.

Lembre-se sempre de focar na jornada do cliente para fazer esses envios. Os assuntos, a redação, as imagens, tudo deve estar de acordo. Portanto, desenhe o caminho que a sua persona vai seguir da atração até o pós-venda e escreva as mensagens incluindo chamadas para ação.

E daí a importância da próxima dica.

Segmente as listas

Os e-mails que melhor convertem são aqueles que são altamente personalizados de acordo com o perfil da persona e sua posição na jornada de compra.

Já pensou enviar um e-mail de agradecimento para alguém que ainda não comprou? Ou chamar de cliente um contato que ainda não é? Ou oferecer arroz para uma empresa que quer comprar algodão?

É para isso que servem as listas e suas segmentações. Ao enviar e-mails para as pessoas certas, você vai nutrir o público adequadamente e fazer com que ele se lembre da sua marca, pois trará real valor em suas mensagens.

E não é só isso: como esses e-mails obtêm a atenção e engajamento do cliente, você obterá maior alcance, abertura e taxa de clique, o que trará melhor análise dos servidores de e-mail, evitando a caixa de spam.

Saiba como criar esses e-mails

É muito comum que empresas utilizem em suas estratégias de e-mail marketing o nome do cliente. Elas utilizam as tags para esse fim, que permitem o envio de e-mails em massa com alteração desse nome para cada contato da base.

Essa pode ser uma boa prática, pois a personalização traz bons resultados tanto para cliques quanto para os servidores, mas é preciso tomar cuidado, pois isso pode soar mal, falso ou sair com erros se o cadastro não for bem feito.

Exemplo: no blog da Buffer, o redator Kevan Lee conta ter recebido um e-mail com seu nome em letras minúsculas, o que é muito estranho e ele não se esqueceu disso. Então, explore outras formas de personalização, como área geográfica, idade, gênero, produtos ou serviços de interesse, histórico de compras, artigos lidos, etc.

Um estudo mostrou que e-mails personalizados em relação às compras passadas obtiveram uma taxa de 98% de retornos positivos de clientes. Segundo a Buffer, outro estudo mostrou que assuntos com mais de 70 caracteres se mostraram mais eficientes para levar o público para um conteúdo, enquanto aqueles com menos de 60 caracteres mostraram melhores resultados nas taxas de abertura dos e-mails.

Como bem sinalizou o Sebrae em seu blog, verifique o seu domínio no sistema de envio de e-mails para que os provedores entendam que é realmente a empresa que está realizando esses envios e que não se trata de spam.

Evite imagens em excesso ou ausência de texto, uso excessivo de termos de venda como promoção, oferta e grátis; uso exagerado de pontuação; assuntos escritos com letras maiúsculas. De vez em quando, faça uma limpeza em suas listas excluindo pessoas que não mostraram interesse ou cujos e-mails estão desatualizados (isso também prejudica a sua performance).

Para fazer essas segmentações, testar e estudar seus resultados, é fundamental que você utilize algum sistema. São exemplos o RD Station, Mailchimp e Leadlovers.

Dica: oferecer materiais grátis, como um e-book sobre agricultura sustentável, por exemplo, ou uma planilha para organizar as compras, é uma ótima forma de oferecer valor aos seus contatos.

E não se esqueça jamais que os e-mails podem ser visualizados em dispositivos diferentes e eles precisam ser responsivos. Então, dê preferência a modelos com apenas uma coluna, fontes e botões grandes, call to actions fáceis de serem encontrados e clicados e a opção para descadastramento.

Isso mesmo, é preciso que você ofereça essa opção, pois além de ser um direito do seu contato, isso evita que sua mensagem seja marcada como spam. Em geral, as ferramentas de e-mail marketing já oferecem essa opção e, caso algum contato solicite exclusão da lista, você pode acessar nos relatórios essa informação.

Saiba sobre a mensuração

Assim como tudo no marketing digital, as estratégias de e-mail marketing devem ser mensuradas a fim de entender, documentar os testes realizados para acompanhar a performance e ver quais estratégias estão obtendo melhor resultado.

Alguns pontos que você pode testar são títulos, cores, segmentação de produtos, horários de envio, etc. Essas alterações podem influenciar na taxa de abertura, clique no e-mail e resultado em vendas. Algumas plataformas já oferecem a opção de testes A/B para os envios. Um exemplo: dois títulos para o mesmo e-mail. Uma amostragem de envios inicial é feita e o que tiver melhor resultado é enviado para os outros contatos da lista.

Um outro possível teste é dividir os horários de envio. Segundo a Buffer, a performance melhora em horários de menor competitividade, como durante a noite e em finais de semana. Faça testes e aprenda na prática. Só assim a sua empresa saberá o que está funcionando e como otimizar resultados.

Construa uma estratégia de relacionamento

Como vimos, o e-mail ainda é uma das principais formas de estabelecer um relacionamento de valor e duradouro com uma base de prospects e clientes. O e-mail marketing é uma relação direta e esse é um dos seus diferencias quando em comparação com as redes sociais.

O primeiro passo na construção de uma estratégia de e-mail marketing é conseguir os contatos de forma legítima e correta. A partir desse momento, todos os envios devem ter objetivos claros e os e-mails enviados devem ser segmentados para oferecer valor de acordo com a jornada do contato.

E com os primeiros relatórios a serem criados, já é possível fazer a mensuração e criar testes A/B para obter melhores resultados nos próximos envios. Assim, a sua marca constrói um relacionamento saudável, valioso e duradouro com suas listas.

Este artigo foi útil para você? Então, assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos exclusivos!