Na época em que vivemos, a maioria das pessoas já sabe que sua empresa precisa ter uma presença online para alcançar espaço no mercado. Muitas já investem em marketing digital e sabem de sua importância, mas ainda existem dúvidas sobre onde é melhor concentrar esse investimento: Facebook Ads ou Google AdWords.

O Google é, sem dúvidas, a principal ferramenta de busca para todo e qualquer tipo de pesquisa. Por outro lado, o Facebook é a rede social mais popular do mundo. A questão é que o processo de divulgação em cada uma das plataformas é peculiar e ambas têm suas vantagens e desvantagens.

Continue lendo e entenda melhor a importância dessas ferramentas e as principais diferenças entre elas.

Qual a importância de sua utilização?

Google e Facebook estão entre as empresas de maior destaque no mundo, tanto por seu tamanho quanto por sua influência, por isso são extremamente importantes para uma estratégia de marketing digital e essenciais para a criação de um conteúdo assertivo.

Falando um pouco sobre cada uma delas, podemos destacar que o Google é a ferramenta de busca mais utilizada no mundo e já bateu marcas impressionantes, com bilhões de acessos por mês. O Facebook é considerado a rede social mais popular do mundo inteiro, com mais de 1 bilhão e meio de usuários ativos.

Por causa de seu grande alcance, fica claro que a utilização dessas plataformas no marketing significa um alcance de praticamente todas as pessoas que utilizam internet no mundo.

Quais são as principais diferenças entre Facebook Ads e Google AdWords?

As duas ferramentas podem ser utilizadas com o mesmo propósito, mas o funcionamento de cada uma tem suas peculiaridades.

Muitos empreendedores têm escolhido trabalhar com as duas plataformas simultaneamente, mas nem sempre o orçamento destinado ao marketing digital permite essa opção.

Por causa disso, listamos algumas das principais diferenças entre Google AdWords e Facebook Ads para ficar mais fácil escolher qual é mais adequada às estratégias e objetivos de sua empresa.

Base de segmentação

Cada ferramenta possui sua solução específica quando o assunto é segmentação. De forma resumida, podemos dizer que o Google AdWords trabalha com palavras-chave e o Facebook com dados demográficos, como idade, gênero, status de relacionamento, gostos e comportamento.

Na prática, isso funciona da seguinte maneira: no Facebook, é possível segmentar, por exemplo, que um anúncio apareça para homens, entre 30 e 40 anos, residentes de determinada região e que possuam interesse em esportes. Já no Google, é possível segmentar de forma que o anúncio apareça quando alguém dentro da faixa etária e região específicas procurar por determinada palavra-chave.

Como o Google é muito utilizado para pesquisas, o anunciante precisa atentar para o uso de palavras-chave corretas para aparecer quando alguém estiver buscando algo relacionado a seus produtos ou serviços.

O Facebook não é utilizado exatamente para buscas e compras, mas é uma excelente ferramenta de publicidade, pois permite a conexão entre inúmeras pessoas e uma troca constante por meio dos compartilhamentos feitos em seu ambiente.

Fase de processo de consumo do alvo

Essa pode ser considerada a diferença mais nitidamente percebida entre as plataformas, graças à distinção dos propósitos de cada uma e, consequentemente, de seus públicos.

A intenção de um usuário do Facebook está mais relacionada ao seu entretenimento, portanto, como consumidor, ele está na fase inicial de um processo de compra. Ele não sabe que quer determinado produto, mas pode ser impactado por um anúncio e desejar seguir adiante rumo à compra.

No Google, o usuário está pesquisando por um item que já é de seu interesse ou necessidade, portanto está previamente preparado para a compra e mais avançado no processo de consumo. Em alguns casos, ele está procurando informações e comparando preços, de forma que uma excelente oferta pode conquistá-lo imediatamente e se converter em venda.

Formatos de anúncios

No Facebook, os anunciantes geralmente têm como principal opção o anúncio simples, composto por texto e imagem, aparecendo no feed de notícias ou na barra lateral. Os vídeos também são bastante utilizados, sendo que, nesse caso, eles só aparecem no feed de notícias dos usuários.

No Google existe um leque maior de possibilidades de formatos de anúncios, como banners, textos, fotos e vídeos. Esses últimos, inclusive, podem ser exibidos em diferentes canais, como o Youtube.

Experiência do usuário

O Facebook é um excelente espaço para trocas de opiniões relacionadas a uma marca ou um produto. Muitos usuários utilizam a rede social para recomendar o que consomem, em uma espécie de publicidade boca a boca, muito vantajosa para o marketing.

O Google tem como vantagem o número de alcance de usuários, mas o trabalho de SEO — ou seja, a otimização do mecanismo de busca — é mais complexo e exige mais personalização para atingir outras pessoas. Além da necessidade do conhecimento sobre adaptação de palavras-chave, a prática exige constantes mudanças e inovações.

Retargeting x remarketing

Um excelente recurso tanto do Facebook quanto do Google está na possibilidade de induzir os visitantes de volta ao seu website. De um modo geral, podemos dizer que o retargeting está mais relacionado à venda de um produto e o remarketing com o fortalecimento de uma marca.

A estratégia de redirecionar o potencial cliente ocorre, por exemplo, quando ele coloca um item em seu carrinho em uma loja virtual, mas não conclui a compra. A ideia é espalhar anúncios desse produto em todos os lugares para que o usuário se lembre dele e volte a pesquisá-lo.

Como foi possível ver, é praticamente impossível ignorar as facilidades e possibilidades que o Facebook e o Google disponibilizam para uma estratégia de marketing digital, cada qual com seus prós e contras. Para obter o máximo de cada um e chegar a uma excelente visibilidade online, é necessário adaptar seu conteúdo e segmentar seu público da maneira mais eficaz possível.

Agora que ficou mais fácil decidir entre Facebook Ads ou Google AdWords, de acordo com as necessidades e demandas de sua empresa, confira também nosso artigo que aponta a importância do vídeo na estratégia de marketing digital.