O agromarketing é exatamente o que o seu nome sugere  marketing para o agronegócio — e considera as particularidades e necessidades do setor para fazer divulgações utilizando diversas mídias online e offline.

Quer saber mais sobre o assunto? Neste artigo você entenderá como fazer uma boa gestão de marketing e comunicação para empresas agrícolas e/ou agropecuárias, seguindo as boas práticas para esse segmento. Acompanhe!

 

Importância do agromarketing

O agronegócio é um setor amplo, de produtos diversos  café, sofá, milho, melancia e arroz —, que variam muito entre as diferentes regiões do nosso grande Brasil.

Assim, o público-alvo do agronegócio é muito heterogêneo: consiste em várias pessoas e empresas com perfis diversos. Portanto, comunicar-se de uma maneira eficaz exige um pouco mais de trabalho e cuidado.

A linguagem utilizada com o público, a identidade visual e os demais aspectos do marketing devem estar de acordo com o público-alvo ou persona (perfil descritivo do cliente ideal) que a empresa deseja alcançar  seja na TV, no rádio ou em meios digitais, como o WhatsApp e as redes sociais.

Especialmente nesta era de informação, é importante que empresas usem o agromarketing para emitir a posição do setor sobre assuntos como consumo de carne, preservação do meio ambiente e outros temas sensíveis, antecipando notícias e regulamentações.

Ao educar o mercado sobre sua cadeia produtiva e seus produtos, a empresa divulga o potencial do negócio e promove melhor interação com o público, posicionando a marca no mercado e gerando mais negócios.

 

Atenção às particularidades

Uma das particularidades do marketing no agronegócio é a necessidade de uma comunicação mais leve. Seu público-alvo costuma ser formado por pessoas simples, que vivem no campo ou em pequenas cidades e, por isso, não é preciso lançar mão de uma linguagem rebuscada ou cheia de termos desnecessários em inglês.

Diferenciar a marca no mercado também é um aspecto que precisa de atenção, pois isso é muito importante para estabelecer uma vantagem competitiva. Um exemplo disso é a tendência de produtos mais sustentáveis.

Se o seu negócio pretende ter uma posição mais “verde” no mercado em que atua, isso deve ser comunicado de uma forma inteligente, utilizando todos os recursos do marketing. Estudar as novidades no mercado para promover mudanças e inovação também é necessário.

Somente com pesquisas e vivência o agromarketing conseguirá compreender o funcionamento do setor, a concorrência, o público-alvo e as tendências — como sustentabilidade, iLPF (Integração Lavoura-Pecuária-Floresta) e energias renováveis.

Não podemos esquecer de mensurar as campanhas de marketing do setor agrícola. O gestor precisa entender se os investimentos estão trazendo retornos e como é possível otimizá-los para aumentar a lucratividade.

Acompanhar a tecnologia pode ser complicado para gestores do agronegócio e suas equipes, para os quais falta tempo e experiência na área. No entanto, para fazer agromarketing de forma eficiente é necessário adotar um perfil mais técnico e estatístico.

 

 

Ações que podem ser desenvolvidas imediatamente

 

Planejamento

O planejamento é um documento que identifica forças, fraquezas, ameaças e oportunidades relativas à empresa. Ele facilita o entendimento sobre o consumidor e sobre o mercado, além de ajudar a criar estratégias com objetivos bem definidos.

Como você sabe se vale mais a pena investir em TV, rádio ou em mídias digitais? O planejamento guia essa escolha e, assim, o gestor pode ter uma visão mais clara sobre como investir seus recursos para gerar melhores resultados a custos menores  além de conseguir “prever” crises.

Você nunca criou um planejamento de marketing para o seu negócio? Então anota aí: geralmente, ele documenta objetivos, missão, visão, público-alvo ou personas, concorrentes e canais de comunicação da empresa (TV, WhatsApp, Skype, Instagram, etc), além das características que já citamos antes.

 

SEO

SEO (Search Engine Optimization) significa, em bom português, Otimização para os Motores de Busca. É um conjunto de técnicas aplicadas em sites para fazê-los obter um melhor posicionamento nos buscadores da internet. Quantas vezes você foi até a página 10 no Google procurando por um resultado para a sua busca? Poucas, certo?

As primeiras posições no Google, usualmente, têm o maior número de visitas e, consequentemente, geram maiores oportunidades de negócios. Portanto, é essencial que você tenha bom posicionamento para o seu site com palavras-chave (como o seu público busca) importantes para seu negócio, facilitando o acesso do seu público-alvo.

Por exemplo, se o seu negócio vende “produtos para a agricultura” é importante que você tenha uma página ou artigo sobre esse assunto, de preferência, entre o primeiro e terceiro lugar no Google. Para identificar as palavras-chave, você pode pesquisar em sites como o Keywordtool e o Keyword Planner (este exige cadastro no Adwords).

No entanto, o uso de palavras-chave não é o único fator relevante para o SEO. A inserção de alguns códigos HTML (linguagem para desenvolvimento de sites), imagens e velocidade do site também contam pontos e provavelmente você precisará de um webdesigner ou de uma agência para fazer essas alterações.

 

Redes sociais

De acordo com uma pesquisa da Associação Brasileira de Marketing Rural & Agronegócio (ABMR&A), o produtor agropecuário tem utilizado mais a internet. No final da década de 90, apenas 3% dos empresários e produtores rurais a acessavam. Após 10 anos, esse percentual foi para 40%  destes, 92% já utilizam as redes sociais.

Isso mostra uma clara tendência no uso de plataformas  como Facebook, Instagram e LinkedIn — para a divulgação de produtos ou serviços do setor. Utilizando as redes

sociais de forma eficiente, o agromarketing consegue ajudar empresas a inovar e a fortalecer sua marca no mercado.

 

Conteúdo

A comunicação para o setor agrícola e/ou agropecuário também pode utilizar o marketing de conteúdo para projetar a empresa no mercado digital e ganhar mais clientes.

Em conjunto com boas técnicas de SEO e outras estratégias  como anúncios no Facebook Ads e e-mail marketing , essa é uma ótima forma de atrair pessoas para o funil de vendas com poucos recursos (e, geralmente, com alto retorno sobre o investimento).

Para isso, é preciso educar o público a respeito de assuntos relacionados ao agronegócio, principalmente sobre os produtos e/ou serviços que a empresa oferece, levando em conta as características da persona.

Você pode, por exemplo, escrever sobre cadeia produtiva, nutrição, fertilizantes e outros assuntos. Essa estratégia gera engajamento, promove o debate e posiciona a marca como referência no setor.

 

Participação em eventos e feiras

Essa é uma outra ação de agromarketing que pode beneficiar as empresas. É uma ótima oportunidade para fazer networking e aproximar-se de atuais e futuros clientes e parceiros comerciais. Idealmente, os contatos feitos devem ser integrados aos canais digitais  criando, assim, uma comunicação estratégica entre os canais online e offline.

 

Funil de vendas

Outra ação importante para fazer uma gestão eficiente do agromarketing é ter um funil de vendas bem definido. Você conhece a jornada do seu consumidor? A equipe comercial tem processos e metas? Saber como e quando abordar os contatos gerados é tão essencial quanto um trabalho de marketing feito de maneira eficiente.

Para fazer o agromarketing funcionar, tenha como objetivo a expansão do negócio e do setor. A internet pode ajudar a diminuir custos com investimentos e aumentar sua lucratividade a cada safra, podendo ser aliada a outras mídias para gerar uma comunicação integrada e estratégica.

Para saber mais sobre como fazer isso corretamente, leia o nosso artigo sobre o poder da televisão no agronegócio! Até breve!